Logo

10821 - Relativismo cultural o reverso da medalha: o debate da ética e da universalidade dos valores na contemporaneidade

Partimos de um entendimento de ética e de valores sustentado pela concepção onto-materialista. Ou seja, entendemos que a valoração só pode existir como expressão de uma concretude, e cuja origem remete ao processo de objetivação primária de homens e mulheres que é possibilitado pelo trabalho.    

Ao longo do desenvolvimento humano, diversas concepções surgiram para explicar as questões de natureza ético-moral. Basta que lembremos que nas sociedades clássicas a explicação sobre os valores, sobre a ética e a moral era dada pelos mitos e expressava uma visão na qual as ações humanas não se auto-determinavam.  

É na modernidade, com a constituição do individuo como ser capaz de controlar a natureza, entendendo-se também como diferente dela, que localizamos ontologicamente no trabalho (e não nas divindades) a explicação da construção das nossas relações sociais. É pelo ato do trabalho, em seu processo de transformação da natureza, que constituímos uma forma de práxis que transforma a natureza e nos autotransforma, e cujo produto torna-se um produto da humanidade. É aqui reside à relação ontológica da ética com o trabalho, pois sem a realização do trabalho não nos tornamos conscientes da nossa liberdade. Portanto, a liberdade é o fundamento da ética. Só podemos fazer escolhas entre alternativas como seres livres e conscientes. Ou seja, a liberdade é uma capacidade humana que nos possibilita fazer escolhas, e estas escolhas comportam elementos valorativos, e nossas ações tornam-se também objetivações ético-morais.    

Nos marcos da sociedade atual verificamos que a suposta idéia de “fim do trabalho” tem contribuído para a difusão de um entendimento de ética e de valores, não mais universalizáveis para o conjunto da sociedade. Logo, entendemos que no reverso das transformações contemporâneas que apontam para o “fim do trabalho” está o relativismo cultural que leva, no nosso entendimento, a falsa noção de que não é possível mais termos valores humanos genéricos.      

Keywords: Relativismo cultural, ética e universalidade

Author: Moraes, Danielle (Universidade Federal de São João del Rei, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575