Logo

6594 - Os Espaços Sagrados da Paisagem Maracá

A cultura arqueológica Maracá, proveniente do Estado do Amapá, Brasil, é conhecida desde o final do século XIX. Ela foi caracterizada, principalmente, pelo tratamento funerário dispensado aos mortos em processo de ancestralização, cujos ossos eram depositados em urnas antropomorfas, zoomorfas e tubulares. Essas urnas possuem características estilísticas e técnicas diferenciadas. Além disso, ao contrário de outros rituais funerários amazônicos, eram depositadas na superfície de grutas, ao em vez de serem enterradas.

Nos vales formados pelos afloramentos rochosos da região de Maracá existem inúmeros abrigos e grutas. Cada um desses lugares possui características variadas no que se refere à localização, dimensões, luminosidade e proteção contra intempéries, o que tornou algumas grutas e abrigos ambientes privilegiados para a realização de atividades sagradas pelo grupo Maracá.

Desta forma considera-se a hipótese de que havia um controle lógico na escolha dos espaços físicos para os rituais funerários. Estes espaços que antes eram apenas resultado da formação geológica da região, no momento que foram inseridos na dinâmica do contexto ritual, passaram a ser continuidades das aldeias, por estarem integrados ao universo simbólico do grupo Maracá, fazendo com que se transformassem em elementos da paisagem sem, no entanto, mudarem sua estrutura física.

Palabras claves: arqueologia amazônica, cultura Maracá, ritual funerário

Autores: Barbosa, Carlos (Museu Paraense Emilio Goeldi, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575