Logo

7644 - Educação, mídia e diferenças culturais

O objetivo desta palestra é problematizar o discurso midiático a respeito das diferenças culturais que se tornam cada vez mais visíveis no espaço escolar, com base nos Estudos Culturais. É notório que os conflitos étnicos, sociais e culturais nas escolas são destaques na mídia brasileira. Estas tensões refletem uma história de violência e segregação racial e social que exigem uma educação intercultural. A violência simbólica instituída pela cultura hegemônica caracteriza-se pelo silenciamento das memórias dos oprimidos que foram garantidas pelas omissões governamentais, resultando na ausência de Políticas Públicas para as populações indígenas e afro-brasileiras. Seus saberes e suas identidades culturais foram historicamente ignorados e discriminados. Graças aos movimentos de resistência que questionam as fronteiras culturais e se fazem presentes no palco dos debates políticos, algumas conquistas são estabelecidas em forma de lei, tais como: as ações afirmativas, os direitos de afro-brasileiros e indígenas. A mídia brasileira chama a atenção para estes debates visualizando as tensões entre os conservadores e os movimentos populares. Defende uma escola como espaço privilegiado para questionar os discursos que se originam de uma matriz hegemônica a fim de construir uma educação voltada para as diferenças culturais.

Palabras claves: Educação. Mídia. Diferenças culturais. Estudos Culturais.

Autores: Teruya, Teresa Kazuko (Universidade Estadual de Maringá Paraná Brazil, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575