Logo

10316 - Ser Brasileira em Portugal: Imigração, Género e Colonialidade

Busca-se refletir sobre o que é ser imigrante brasileira em Portugal, explorando esta especificidade, a partir de análises sobre os imaginários em torno dessas mulheres e suas experiências nesse país. Foram utilizados dados históricos, estatísticos, de análise dos média e entrevistas. Evidenciou-se que a experiência de ser mulher brasileira em Portugal diferencia-se, dentre as experiências migratórias, por questões de género e históricas entre Portugal e Brasil. Os brasileiros em geral, possuem uma identificação própria em Portugal. No caso das mulheres brasileiras isto é agravado, já que os imaginários coloniais estiveram articulados com a criação de uma imagem específica para as mulheres das colônias em torno da erotização. Essa imagem erotizada se reflete atualmente em preconceitos e discriminações, as quais são sentidas no mercado de trabalho e na inserção social das imigrantes brasileiras, que acabam por carregar uma “marca de prostituição” e são consideradas objetos sexuais. Lidar com os estereótipos, de diferentes formas, faz parte da experiência migratória dessas mulheres e de suas estratégias de sobrevivência. As mulheres brasileiras ao migrarem para Portugal passam a (re)construir suas identidades, as quais são fluídas, mas articulam-se com demarcadores sociais hierárquicos, como os de gênero e nacionalidade.

Palavras-chaves: Brasileiras, Género, Colonialidade, Imigração, Portugal.

Autores: Padilla, Beatriz (Instituto Universitário de Lisboa, Portugal / Portugal)
Co-Autores: Gleiciani Fernandes; Mariana Selister Gomes

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575