Logo

9379 - O ideário feminista em filmes latinoamericanos dos anos 1980: similitudes e diferenças entre Bemberg e Yamasaki

Estudos realizados em diferentes países da América Latina chamam a atenção para a circulação do ideário feminista na região, a partir de meados da década de 1970 ( GÓMEZ-FERRER, 2006; JELIN, 2003; ALVAREZ, 1988).

É possível verificar, especialmente, na Argentina e no Brasil, nas décadas de 1970 e 1980, o engendramento de uma cultura política feminista, que se caracterizara, entre outros aspectos, pela articulação de grupos, elaboração e circulação de idéias e de valores em defesa dos direitos das mulheres, de crítica à desigualdade de gênero, expressando-se no campo da política e na vida social, desses respectivos países (SOIHET, 2007). Tais idéias e práticas contrapunham-se ao discurso normativo sobre a sexualidade e sobre o papel atribuído às mulheres em sociedade.

A produção de objetos culturais, especificamente o cinema de autoria feminina, tanto em um país quanto no outro, inseriu-se na constituição do que estamos aqui designando cultura política feminista. Nessa ponência, abordaremos filmes da Maria Luisa Bemberg (Argentina), e da Tizuka Yamasaki (Brasil) – realizados e lançados no período de transição democrática –, a fim de analisar os discursos que as cineastas difundiram através de seus filmes naquele contexto histórico, de tensão, marcado pela dominação masculina – ou patriarcal.

Palavras-chaves: feminismo, história, cineastas, transição

Autores: Cavalcante, Alcilene (Universidade Federal Fluminense, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575