Logo

6599 - Globalização e feminismos no Cone Sul

No período de 1960 a 1989, a resistência às ditaduras que se instalaram no Cone Sul e a identificação com o feminismo de várias destas pessoas envolvidas nesta resistência foi proporcionada, também, pela globalização. A intensa circulação de pessoas que se observou entre os vários países – muitas vezes acompanhados de perto pela polícia da Operação Condor mostra como, junto com estas pessoas, também chegaram idéias, livros, panfletos e contatos que permitiram que várias delas viessem a se identificar com o feminismo. Para esta pesquisa, utilizei entrevistas realizadas com militantes feministas e com pessoas envolvidas na luta contra as ditaduras, além de livros e periódicos publicados na época e documentos produzidos pelos órgãos repressores desses países. Paralelamente à Operação Condor, que vigiava todos utilizando a facilidade de circulação, havia, também, uma rede de contatos, estes também facilitados pelas novas formas de comunicação da época, que garantiam proteção, solidariedade e circulação de informações e de idéias, apesar da vigilância promovida pelas ditaduras sobre os órgãos de comunicação. Este ambiente promoveu movimentação de pessoas e de idéias, que mudaram as relações de gênero nestes países.

Keywords: feminismo, gênero, ditaduras, globalização

Author: Pedro, Joana Maria (Universidade Federal de Santa Catarina, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575