Logo

8446 - Documentário biográfico e historiografia, diálogos possíveis

A confluência história e mídia audiovisual, mais especificamente o documentário de cunho biográfico, vem gerando um gênero que poderia ser nomeado como “biofilmagem” - em analogia direta a etimologia de biografia: “grafia da vida” - e que traz problemáticas e reflexões comuns tanto à biografia quanto à historiografia. As questões que analisarei na presente comunicação são fruto do meu envolvimento com a realização audiovisual.   Sem a pretensão de esgotar um tema tão complexo, apontarei alguns conceitos que me nortearam e, que espero, possam contribuir para um debate englobando a prática historiadora e a captação de fontes por meio da mídia audiovisual. Primeiramente irei analisar três documentários que realizei para em seguida refletir - tendo como referência alguns teóricos que se voltaram ao fazer historiográfico - os limites tênues entre fato e ficção; sobre as implicações memória e as narrativas de vida [1] .                        

[1] AMOR É UM LUGAR VAZIO, Direção: Ana Carolina Maciel e Caco Souza. Roteiro: Ana Carolina Maciel. Produtora: Viralata Filmes. 2000 (15 min), cor, son. vídeo; ELIANE. Direção: Ana Carolina Maciel e Caco Souza. Roteiro: Ana Carolina Maciel. Produtora: Viralata Filmes. 2002 (33 min), cor, son. 16mm; “YES NÓS TEMOS BANANAS”, Direção: Ana Carolina Maciel. Roteiro: Ana Carolina Maciel. Produtora: Viralata Filmes. 2008 (15 min), cor, son. vídeo.              

Palavras-chaves: biografia;memória;documentário;historiografia.

Autores: ANA CAROLINA, Maciel (UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575