Logo

8204 - Combates pela história e pela revolução: uma análise de A revolução brasileira de Caio Prado Júnior no contexto da interpretação marxista da realidade brasileira nos anos de 1960.

Responsável por uma profunda modificação na maneira de se fazer História no Brasil, Caio Prado Júnior foi um profícuo historiador, que realizou estudos de grande envergadura produzindo sínteses dos momentos fundamentais da história do Brasil, trazendo à tona elementos que puderam modificar a forma como os historiadores interpretavam a história brasileira.

Introdutor do método marxista na historiografia brasileira, uma de suas mais impactantes produções O Sentido da Colonização , trazia uma interpretação que apontava para o peso das estruturas coloniais na vida do país ainda em vigência no século XX, no momento mesmo em que o autor refletia sobre o tema da colonização. Marco na interpetação da história do Brasil, a abordagem da colonização como determinante do nosso presente, aparece em outras obras do autor e destacamos aqui A Revolução Brasileira . Nela o autor faz críticas à maneira como vinha sendo interpretado o nosso passado pela esquerda, apontando seus erros e ressaltando o papel da atuação popular na superação do peso da colonização no presente.

A análise do autor se distanciava da interpretação que fazia a grande parte esquerda brasileira no período. De forma mimética aos fenômenos europeus, pode-se afirmar sinteticamente que a esquerda procurava combater os “ restos feudais ” e realizar uma revolução “ democrático-burguesa ” .

Com a palestra, procuraremos demonstrar a distância que se apresenta na obra de Caio Prado da interpretação corrente na esquerda brasileira e, para tanto, escolhemos o Partido Comunista Brasileiro (PCB) como contraponto. O PCB era antes de 1962 a principal força política de esquerda no Brasil e influenciou as análises que feitas pela maioria das organizações. Além disso, Caio Prado Júnior era militante do PCB desde 1931 e A Revolução Brasileira , é uma obra de que conjuga estudos históricos e militância de forma explícita.

Palavras-chaves: historiografia brasileira, método marxista no Brasil, historiador e política.

Autores: Sposito Mechi, Patricia (Universidade Federal do Tocantins, Brazil / Brasilien)
Co-Autores: Lilian Marta Grisólio Mendes (Universidade Federal do Tocantins, Tocantins, Brazil / Brasilien); Débora Cristina Goulart (São Paulo, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575