Logo

4119 - A estética das ruas; polêmicas modernistas no contexto internacional

O Modernismo abrigou um conjunto complexo de transformações que ocorreram no campo da cultura e das artes entre a década de 1870 e o início da Segunda Guerra mundial, envolvendo a Europa, os Estados Unidos, países latinos americanos e o Brasil.

Esse panorama de contatos, encontros, aculturações e mestiçagens teve dimensão conflituosa ao consagrar modelos e encobrir idéias e projetos em curso. Esse texto, integrado ao Projeto “Paisagens e sensibilidades e urbanas: Rio de Janeiro e Paris propõe discutir outras vertentes do moderno urbano que assumiram perspectiva critica em relação à universalização do modelo Haussmann. Vai-se analisar no inicio do século XX, a relação que uniu intelectuais brasileiros e franceses na critica a tais modelos. Um dos fundamentos dessa critica consistia no aspecto padronizador de uma estética que integrava indistintamente espaços e corpos, perdendo-se a dimensão das atuações cotidianas. Destacava-se os artistas como os mais aptos na tradução de uma “estética das ruas” compatibilizando a cidade moderna com as tradições comunitárias garantidora dos laços orgânicos entre os cidatinos e a cultura com base nas sensibilidades e nas artes. As fontes consultadas serão as revistas literárias francesas e brasileiras.

Palavras-chaves: cultura modernista, intercambios culturais, Brasil e Europa, Estetica, Sensibilidades sociais

Autores: monica, velloso (Fundação Casa de Rui Barbosa, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575