Logo

10328 - Os primórdios do controle do cancer cervical no Brasil

O trabalho trata da trajetória da ginecologia e das ações de controle do câncer de colo de útero no Brasil. Discutimos o processo de desenvolvimento dessa disciplina no segundo quartel do século XX, com foco na influência que a ciência alemã teve sobre ela. Nesse ponto, nossa analise se volta para os Institutos de Ginecologia das faculdades de Medicina do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte, onde o processo de renovação então em curso possibilitou a criação de um modelo específico para a prevenção do câncer de colo de útero, baseado na utilização combinada da observação visual da cérvice por meio de um instrumento óptico desenvolvido na Alemanha, chamado colposcópio, com o uso da citologia esfoliativa - teste papanicolaou. A partir da década de 1940, essas instituições protagonizaram o desenvolvimento de uma verdadeira rede de difusão dos conhecimentos para a prevenção do câncer de colo de útero no país, atuando na formação de sociedades, elaboração de congressos e cursos para a formação de técnicos, intercâmbio de pesquisadores com outros países e, principalmente na criação de espaços para a prevenção e o tratamento da doença. O fortalecimento dessa rede institucional foi de grande valor no processo de institucionalização das ações de prevenção à doença. Somente na década de 1970, quando a saúde pública brasileira, iniciou um processo de grandes transformações, a adoção das campanhas de rastreamento da doença baseadas no teste Papanicolaou modificaram o modelo de prevenção então vigente.

Palavras-chaves: Medicina, saúde, controle do câncer

Autores: Luiz, Teixeira (Fiocruz, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575