Logo

6846 - O Império do Brasil no contexto do século XIX. Escravidão nacional, classe senhorial e escravos na formação do Estado

A apresentação discutirá a relação entre a classe senhorial, considerada como uma formação histórica particular de grandes proprietários rurais escravistas, nucleada em torno da zona cafeeira da Bacia do Rio Paraíba do Sul na província do Rio de Janeiro, na construção e consolidação do Império do Brasil. A classe senhorial será entendida como uma classe nacional – expressão tomada de Antonio Gramsci – não no sentido de que ocupou todo o território nacional e nele se configurou de forma homogênea, mas no sentido de que sua dominação foi nacional, organizada a partir do Estado, submetendo e incorporando interesses de outros grupos e classes sociais, tanto da sua quanto de outras regiões do Império. A transformação de um grupo social de base regional de senhores de escravos em uma classe dominante nacional não foi um processo espontâneo, mas uma construção histórica que, além de uma série de condições econômicas, sociais e culturais objetivas, demandou a ação concreta e específica de uma camada de intelectuais que, em um determinado período de tempo, grosso modo identificado com o advento, o apogeu e a queda do Segundo Reinado, entre 1840 e 1889, se colocou à frente e dirigiu esse processo. Esse grupo aglutinou-se em torno do serviço ao Estado, e se formou a partir de diferentes origens sociais, normalmente, mas não exclusivamente, entre os setores dominantes. Provinha de distintas regiões do país, e não apenas da área de nucleação da classe senhorial na Bacia do Paraíba.

Keywords: Segunda Escravidão; Século XIX, Estado Nacional; Brasil.

Author: Salles, Ricardo (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575