Logo

3547 - Crescimento econômico face à preservação ambiental e respeito aos Direitos Humanos

As sociedades atuais estão mudando a concepção de proteção ambiental. Até a década de 90 a proteção ambiental era muito limitada e estava em fase embrionária e de aceitação pela sociedade. Foram criadas as primeiras leis de preservação específica. Seguiu-se, na década seguinte, com o desenvolvimento das ONGs e da educação ambiental, uma cultura ambiental que está em pleno desenvolvimento atualmente. Apesar dos esforços e avanços culturais a proteção ambiental ainda é vista com algumas ressalvas. Principalmente, no Brasil, que tem uma ampla área com recursos ambientais a forma de se enxergar o meio ambiente tem mudado. Passa-se por uma mudança cultural muito grande. O Brasil vive um momento de crescimento econômico sem precedentes, com mudanças de classes sociais, diminuição da pobreza, novas multinacionais e empregos. Essa mudança monetária gerou impactos na visão da sociedade sobre o meio ambiente. O que antes era certeza de ser preservado atualmente gera um conflito com o sistema econômico. É necessário mesmo preservar? Ou deve-se manter um crescimento econômico que gere impactos ambientais mas melhorias para a sociedade? Isso pode ser visto nas próprias atitudes dos governantes, alterando leis ambientais, como o Código Florestal, facilitando o licenciamento ambiental em diversas áreas. E de que lado está a sociedade? Preserva ou cresce? Será que é realmente possível que haja desenvolvimento sustentável conforme traçado nas décadas anteriores? A atual sociedade de consumo respeitará direitos humanos indeléveis ou se está passando por uma mudança de valores?

Palavras-chaves: Direitos humanos - relações internacionais - meio ambiente

Autores: GUIMARAES, LUIZ RICARDO (IESB - BRASIL, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575