Logo

5746 - Entre Mariazinha e a Gata Borralheira: um entrelaçado narrativo que problematiza o que é ser indígena na contemporaneidade

Consequência de um projeto de pesquisa de três anos, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), realizado na Terra Indígena São Marcos, Roraima, Brasil, envolvendo dezessete comunidades indígenas das etnias Macuxi, Taurepang e Wapixana, este trabalho analisa a seguinte questão: o que é ser indígena, identificar-se como índio na contemporaneidade, depois de mais de duzentos anos de contato com não índios em Roraima? Ele constroi-se principalmente a partir de um susto enquanto coletava uma narrativa nessa Terra Indígena: a entrevistada Arlene Silva, índia Macuxi da comunidade Santa Rosa, narrou a história de Mariazinha. No decorrer da narrativa, há um entrelaçamento da realidade local com narrativas de contos de fadas, com ênfase à Gata Borralheira. A partir desse imbricamento do mythos, este trabalho analisa essa narrativa, discutindo o processo de contato cultural, as semelhanças e diferenças entre a narrativa da Gata Borralheira e a recriação adaptativa feita pela entrevistada e/ou comunidade a que ela pertence. Conjuntamente, analisa narrativas de outros indígenas que problematizam o ser indígena hoje, depois do contato com o não índio. A perspectiva teórica sustenta-se principalmente na Literatura Comparada e nos Estudos Culturais, já o processo de coleta de dados ancora-se na metodologia da História Oral.

Palavras-chaves: Idendidade Indígena, Alteridade, Gata Borralheirra, Indios de Roraima

Autores: Fiorotti, Devair (Universidade Estadual de Roraima, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575