Logo

9181 - Aspectos morfossintáticos dos verbos inacusativos e inergativos em Bakairi (Karib)

Trabalhando com o Bakairi desde 1984, venho chamando a atenção para a dificuldade em sistematizar a ocorrência dos verbos em função de seus paradigmas. As marcas do aspecto perfectivo - -tai ~ -dai e -aki ~ -agi - selecionam todo um conjunto de afixos (marcas de tempo-aspecto e negação) arrolados em função dessa bipartição morfológica. Observamos também que os verbos em –aki/-agi, ao receberem a marca de um transitivizador, mudam de paradigma. Fato que não acontece com os verbos em -tai/-dai quando recebem a marca de um intransitivizador.

Assim, pretendo verificar como e quais verbos em Bakairi poderiam ser distribuídos no viés inacusativo/inergativo (cf: Perlmutter, 1978 e Burzio, 1986) e quais verbos poderiam vir a ter marcado no léxico o seu funcionamento. A divisão transitivo/intransitivo não se sustenta, e a distribuição dos verbos monargumentais em inacusativos/inergativos não se dá de forma automática. A sistematização desses verbos parece atrelada a diferentes fatores, que atendem a critérios de ordem morfológica e sintática, dadas restrições e implicações advindas da estrutura sintático-ergativa da língua. É o funcionamento dos verbos em Bakairi que, em longo alcance, vamos explorar.

Palavras-chaves: língua Bakari, inacusatividade, inergatividade

Autores: Clemente de, Souza (Museu Nacional/UFRJ, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575