Logo

7035 - A produção independente e a experiência do DocTV no Brasil

O Brasil tem 27 estados distribuídos em cinco regiões definidas – Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul -, uma infinidade de sotaques, histórias e culturas diversificadas de uma população de quase 200 milhões de habitantes. No entanto, a produção qualificada de conteúdo televisivo é, em geral, realizada apenas nas duas maiores cidades: Rio de Janeiro e São Paulo. A televisão, por sua abrangência, é um dos veículos que mais solidificam idéias homogeneizadas sobre as regiões, sintetizando-as em apressadas noções; seu objetivo é o consumo fácil e rápido. A televisão brasileira é, tradicionalmente, avessa à aproximação com a produção independente, sobretudo quando se trata de estabelecer marcos que regulamentam a participação dos independentes na programação televisiva, como ocorre em países, como Inglaterra, Canadá e Argentina.

Em 2003, o Ministério da Cultura criou o DocTV, programa pioneiro de incentivo à produção de documentários que contempla o aspecto da descentralização: são selecionados projetos de documentários para ser produzidos em cada estado e exibidos nacionalmente através das emissoras que compõem a Rede Pública de Televisão. Entre 2003 e 2010, o Programa realizou de forma direta 131 documentários, fora outras dezenas realizadas com apoio de outras instituições.

Diante da produção do DocTV, pode-se dizer que os filmes realizados nos quatro cantos do país criam uma nova visibilidade e dizibilidade sobre seus estados? Ao trazer os resultados da experiência da interação da produção independente com a televisão brasileira, discutem-se os prejuízos da não regulação do setor audiovisual, que dificulta o acesso de grupos historicamente marginalizados de se auto-representarem.

Author: Holanda, Karla (Universidade Federal de Juiz de Fora, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575