Logo

2965 - Cidades fronteiriças na Amazonia Colombo-Brasileira

A pretensão deste trabalho é apresentar um desdobramento da concepção de Fronteira enquanto disjunção histórica a partir da experiência desenvolvida na fronteira do Brasil com a Colômbia.

A extensão da linha fronteiriça entre estes dois países é superior a 1.500 km. No entanto, dos três pontos de contato existentes – La Pedrera / Vila Bitencourt, Tarapacá / Ipiranga e Letícia / Tabatinga-, somente este último apresenta uma dinâmica territorial abrigando diversos fluxos. A cidade brasileira de Tabatinga possui aproximadamente 25.000 habitantes, enquanto a cidade colombiana de Letícia possui em torno de 20.000 habitantes, ambas com forte presença da nação indígena Tikuna.

Nossa abordagem sobre esta fronteira parte da existência simultânea de três concepções fronteiriça: uma fronteira controlada, em que ambos os países exercem seu controle a partir de aparatos militares; uma fronteira percebida, em que discutimos a visibilidade distinta desta região de fronteira por ambos países; e uma fronteira vivida, em que apresentamos a vida cotidiana de uma sociedade fronteiriça que sabe apropriar-se das diferenças entre os Estados-nacionais.

Uma das propostas de alteração territorial para esta região é a criação de um território federal no Oeste do estado do Amazonas brasileiro, com o nome de Território do Alto Solimões, com a capital na cidade de Tabatinga. Segundo seus moradores, isto daria um status equivalente ‘a sua vizinha colombiana, equilibrando a hegemonia fronteiriça.

Palavras-chaves: Fronteira, Politica Territorial, Cidades, Amazonia

Autores: Nogueira, Ricardo (Universidad Federal do Amazonas, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575