Logo

3097 - DEFESA E SEGURANÇA REGIONAL NO CONE SUL: ATORES E SUAS PERCEPÇÕES SOBRE COOPERAÇÃO EM DEFESA

A América do Sul tem se revelado uma região livre de

conflitos armados, situação apenas esporadicamente alterada. Os processos de

transição política dos regimes autoritários vigentes dos anos 1960 a 1980

conferiram novo estatuto de entendimento entre os países e medidas de confiança

mútua foram sendo estabelecidas. O quadro mais geral sugere maiores

possibilidades em cooperação em Defesa, de forma a que se configure um Complexo

Regional de Segurança consistente e crescentemente institucionalizado.

Entretanto, ao lado de avanços significativos, a região ainda padece de

integração em menor nível do que se poderia atingir, se comparado a outros

mecanismos regionais similares. As percepções sobre a cooperação, que envolve

mecanismos de alteridade, se apresentam como questão chave para melhor

compreensão dos desafios que se apresentam. Os discursos securitizadores,

enquanto afirmação de ideais norteadoras de estratégias de Segurança e Defesa,

são reveladores das percepções sobre cooperação entre diferentes atores. A

proposta é analisar os percursos geradores de sentido destes discursos,

centrando o enfoque nos próprios governos, via exame de Livros de Defesa, militares,

diplomatas e mídia impressa em três países do Cone Sul: Argentina, Brasil e

Chile no período pós-autoritário.

Palabras claves: percepções sobre cooperação em Segurança Regional; Cone Sul; discurso securitizador; atores

Autores: Soares, Samuel (UNESP, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575