Logo

3861 - Economia solidária e políticas de inserção social: cooperativas populares em São Paulo.

O paper busca analisar o debate sobre economia solidária no Brasil e seu deslocamento de uma proposta de trabalho alternativo em um quadro de crise do trabalho assalariado, para outra voltada a políticas sociais de inclusão social de trabalhadores tradicionalmente marginalizados do mercado de trabalho. As fabricas recuperadas que estiveram no centro das experiências originais de trabalho reconvertido, foram superadas pela organização de cooperativas de coletores de recicláveis, e de pequenas cooperativas chamadas populares voltadas a população de baixa renda em setores como artesanato, costura, alimentação, etc. A idéia de autonomia e autogestão, originalmente vinculadas a diversas entidades da sociedade civil que participavam da incubação dessas cooperativas como universidades, ongs, igrejas e outras instituições, progressivamente dão lugar a políticas públicas de inserção social, de políticas de combate a miséria, capitaneadas pelos diversos níveis de governo , nas quais os empreendimentos solidários são vistos como uma possibilidade frente as tradicionais políticas assistencialistas voltadas as populações excluídas. Em termos empíricos, utilizamos dados de pesquisa junto uma amostra de 107 cooperativas de trabalho no Estado de São Paulo, buscando caracterizar suas formas de organização, seus trabalhadores e a incorporação dos ideais solidários na organização do trabalho. A pesquisa foi financiada pela FAPESP.

Palavras-chaves: inserção social, políticas públicas, Economia solidária

Autores: LIMA, Jacob (Universidade Federal de São Carlos, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575