Logo

9083 - Microcrédito e desenvolvimento: estudo dos impactos sócio-econômicos de programas de microcrédito na cidade de Fortaleza, Brasil

Este trabalho tem como objetivo analisar os impactos sócio-econômicos dos programas de microcrédito, entendidos como políticas públicas de geração emprego e renda, voltadas para o desenvolvimento e diminuição da pobreza, na cidade de Fortaleza, no Brasil. Sob a perspectiva etnográfica, vimos realizando uma pesquisa sobre os programas de microcrédito, operacionalizados pelo Banco do Nordeste - BNB, um banco público de desenvolvimento que atua no Nordeste brasileiro. Para tanto, investigamos os resultados de dois programas de microcrédito, junto à população de baixa renda de Fortaleza, diferentemente tipificados no campo das microfinanças: o Crediamigo, do tipo microcrédito produtivo orientado, e os Fundos Rotativos Solidários, constituídos como um tipo de modalidade de microcrédito associado aos pressupostos da economia solidária. Como resultados, as experiências de microcrédito investigadas apontam para os seus limites em relação aos objetivos a que se propõem, sobretudo no tocante a alcançar a geração sustentável de emprego e renda, e a erradicação da pobreza. Entende-se que esses limites explicam-se pelas contradições dos programas de microcréditos, que operam entre a reprodução das estratégias da banca tradicional, associada à lógica mercantil, e a construção de alternativas a essa lógica, no campo da economia solidária. Trata-se de limites devem ser compreendidos à luz das estruturas socioeconômicas que conformam os programas, norteadas pela mundialização do capital financeiro e pela precarização do trabalho, notadamente associadas à informalidade urbana. Finalmente, considerando que os programas de microcrédito implementam-se nos contornos das sociedades capitalistas contemporâneas, estruturalmente excludentes, concluímos que os programas estudados circunscrevem-se, em última instância, a uma concepção de desenvolvimento voltada para a inclusão no mercado laboral e para o consumo, e não apontam para o desenvolvimento orientado para uma sociedade inclusiva.

Palavras-chaves: Microcrédito, Desenvolvimento, Políticas Públicas

Autores: Gussi, Alcides Fernando (Universidade Federal do Ceara, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575