Logo

8239 - Efeito da Política Habitacional na Qualidade de Vida de Famílias de Baixa Renda

O Governo Federal tem promovido, após anos de luta dos movimentos de luta pela moradia, uma política habitacional ampla, constituindo-se em um programa nacional de habitações de interesse social. Com isso, as administrações públicas municipais têm podido atender a demandas históricas provenientes dos movimentos sociais urbanos. A tipologia utilizada para atender a essa demanda tem sido a de apartamentos, tendo em vista a escassez de terrenos nos grandes centros urbanos. Porém, uma parcela do público assistido por essa nova política, formada, principalmente, por ex-moradores em situação de rua, tem encontrado grandes dificuldades para manterem suas moradias, em razão dos custos de manutenção dessa unidades habitacionais, que envolvem pagamento de condomínio, água, luz, gás, etc., levando-as, quase sempre, a abandonarem seus imóveis ou a negociá-los por preços irrisórios, quando não, realizam a troca por barracões em favelas ou o abandono puro e simples para retornarem a viver nas ruas.  

O presente trabalho trata do acompanhamento de quinze famílias, ex-moradoras em situação de rua, que ascenderam a uma unidade habitacional do tipo apartamento. Analisa-se o impacto sobre o orçamento doméstico, a quebra de confiança nas políticas habitacionais e a perda do sonho da casa própria.

Palavras-chaves: pobreza, política habitacional, qualidade de vida, orçamento doméstico, moradores em situação de rua

Autores: Timóteo, Geraldo (Universidade Estadual do Norte Fluminense - UENF, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575