Logo

6384 - Histórias ¿em suspenso¿, os Tembé ¿de Santa Maria¿. Estratégias de enfrentamento do etnocídio ¿cordial¿

Os Tembé , ditos “de Santa Maria”, até bem pouco tempo não eram reconhecidos Tenetehara e de certa forma continuam a não ser reconhecidos como tal. Há mais de 100 anos suas histórias permaneceram “em suspenso” como uma das muitas faces do etnocídio “cordial”. Há, pouco mais de 10 anos, começaram a ouvir e a aprender narrativas produzidadas por terceiros sobre si e na luta por venscer a invisibilidade passam a se afirmar Tembé e não Tenetehara e pagam o alto preço da “etnogênese.” Discute-se a partir dos interlocutores (1) as histórias “herdadas” (producidas por terceiros para auxiliar a luta); (2) as narrativas indígenas sobre os trajetos feitos até Santa Maria; e (3) a apropriação que os Tembé fazem da “herança” e das narrativas produzindo os fios da “etnogênese” identitárias, inclusive requerendo que antropólogos produzam a sua história, como se eles não pudessem apresentar a sua versão. Entra-se, em cena, a chamado dos Tembé e, no momento, estou as voltas com as fontes, orais que implicam em vozes polifónicas (que oscilam entre a negação, o desconhecimento e a afirmação peremptória) e escritas (mantidas pelas ordens responsáveis pelas antigas missões e registros de batismo guardados ou inexistentes em arquivos paroquiais inacessíveis. Por enquanto, é possível acessar os documentos escritos sobre os próprios Tembé por historiadores amadores, antropólogos da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) em poder do próprio povo e de depoimentos sobre como se é Tembé em meio as adversidades que os cercam. Entre os pressupostos que elenco para produzir uma história intercultural que, incorpore simétricamente as versões de lideranças e do movimiento indígena, estão as dificuldades para afirmação pelo fato dos ascendentes dos Tembé serem oriundos de uma missão religiosa que se transformou e funcionou até meados dos anos 70 do século XX como “leprosário” e ao longo do trajeto à Santa Maria a mescla com os negros da região produziu novos motivos de discriminação que os segrega. Portanto, descender de leprosos e ser negro, produz distanciamento do que se pensa ser indígena. O contexto obriga-nos a buscar de caminhos alternativos a História e a Etnologia, pois é um caso de etnocidio “cordial” revertido, como vencer a colonialidade e a falta de traquejo intercultural é a questão?

Keywords: História dos povos indígenas; ¿etnogêneses¿; pertenças; identidade étnica; etnocídio ¿cordial¿.

Author: Beltrão, Jane Felipe (UFPA/Brasil, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575