Logo

8198 - As Relações Econômicas entre Brasil e África durante o Governo Lula

O projeto de cooperação do Brasil com o continente africano se iniciou nas décadas de 50/60 se concretizando em 1975 (ex-colônias portuguesas) durante os anos 19(90) o movimento de aproximação exonômico afro-brasileiro foi arrefecido. Os interesses da política externa brasileira se voltavam então, para a necessidade de financiamento internacional, movido pelos tradicionais provedores de capital do mundo. Com a retomada dos investimentos internacionais forçados pela incerção da China na economia mundial, que, ao mesmo tempo, promoveu a valoração das commodities periféricas, novas expectativas econômicas foram criadas para o continente africano. Esse movimento da economia mundial novamente irá coincidir com a retomada dos movimentos de aproximação do Brasil durante os governos do presidente Lula. Seria possível afirmar que os interesses brasileiros movem-se ao sabor de suas necessidades internas? Ou a entrada crescente de um sério concorrente como a China, assumindo espaços de interesse do Brasil naquele continente, revelaria a necessidade de se intensificar os movimentos de aproximação? Diante dessas indagações, esse trabalho procura analisar a aproximação feita no período dos governos do presidente Lula (2002 a 2010) em direção àquele continente, deslocando seus efeitos e consequências econômicas. Júlio Gomes da Silva Neto é Pós-doutorando em Ciência Política na Universidade Estadual Paulista (UNESP/Brasil) Luiz Eduardo Simões de Souza é Professor Doutor na Universidade Federal de Alagoas (UFAL/Brasil) Maria de Fátima Previdelle é Doutoranda em História Econômica pela Universidade de São Paulo (USP/Brasil)

Palavras-chaves: Relações Internacionais; Comércio Internacional; Internacionalização de Capital

Autores: Silva Neto, Júlio Gomes da (Universidade Estadual Paulista (UNESP/Brasil), Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575