Logo

6095 - Às margens da estrada e da história juruá: algumas considerações sobre a territorialidade mbyá-guarani no sul do Brasil

Neste trabalho pretendo situar em contexto histórico e etnográfico as ocupações mbyá-guarani contemporâneas no sul do Brasil, principalmente os denominados “acampamentos”, considerando-se as alianças locais e circunstanciais acionadas pelos Mbyá ao longo do tempo. Para tanto, utilizo material etnográfico referente aos teko’a Arasaty, Nhüu Poty e Takuaty, localizados na Bacia Hidrográfica do Lago Guaíba, estado do Rio Grande do Sul/Brasil, bem como registros cartográficos e documentais.

Sucessivas guerras, envolvendo interesses divergentes entre Coroa Espanhola e Portuguesa no início da colonização européia desenharam as fronteiras do sul do Brasil. A imposição de fronteiras estatais aos Guarani forçou-os a adequarem-se durante muitos anos à oferta disponível de espaços, sendo as Reduções Missioneiras, a Guerra Guaranítica, a Guerra do Paraguai, a Revolução Farroupilha e Federalista alguns dos eventos marcantes ocorridos nesse longo processo de esbulho territorial. Em sua grande maioria, os Guarani foram arregimentados para lutarem nesses conflitos e também para fixarem-se nas Missões. Outros conseguiram resistir escondendo-se nas matas de floresta atlântica na região de fronteira entre Argentina e Paraguai. Outros ainda, conseguiram sobreviver em regiões já colonizadas por brancos através de alianças locais/circunstanciais, a exemplo do que se pode observar nos registros de batismo, nascimento, óbito e de polícia envolvendo indígenas Guarani na região de Porto Alegre, Guaíba e Barra do Ribeiro (municípios do RS onde situam-se os teko’a aqui citados).

Nesse sentido, o panorama histórico demonstra que os subterfúgios nas leis de outrora, o investimento governamental em ocupar as terras do Brasil Meridional com imigrantes europeus, amparados em políticas de “branqueamento”, assim como configurações espaciais mais recentes têm implicações diretas na atual situação territorial mbyá na região do Lago Guaíba e da Lagoa dos Patos (sul do Brasil). Sendo assim, o estudo etnográfico realizado junto aos Guarani de Arasaty, Nhüu Poty e Takuaty Porã possibilita algumas considerações acerca de significações nativas sobre território, ao passo que incitadas pelas informações de tempos recuados.

Keywords: Mbyá-Guarani - território - alianças

Author: Prates, Maria Paula (PPGAS/UFRGS, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575