Logo

5539 - O Poder dos objetos musealizados repletos de tradição e sacralidade

O presente artigo é parte de um estudo mais amplo sobre o Museu Severina Paraíso da Silva (Mãe Biu), único museu do estado de Pernambuco instalado dentro de um terreiro de candomblé, o Terreiro de Santa Bárbara Ilê Axé Oyá Meguê, da nação Xambá, em Olinda. Este artigo foca os objetos usados por Mãe Biu, principalmente seu “trono”, nome dado à cadeira em madeira escura envernizada, com braços e encosto estofados em tecido cor de rosa, que ela usava na cerimônia de louvação. A partir de uma reflexão antropológica sobre os objetos materiais discute-se sobre a capacidade que os objetos possuem de transmitir sentimentos aos indivíduos por os remeterem a memórias passadas. Os objetos musealizados, que saem de seus contextos diários do uso cotidiano para ocuparem, a princípio, uma posição diversa dos que lá permanecem, são percebidos como simbólicos, como cheios de sentidos, memórias ou poderes sagrados. No caso dos objetos expostos no Museu estudado, observou-se que ainda saem para serem usados em cerimônias especiais.

Keywords: museu, memória, candomblé, objetos sagrados

Author: Quérette, Letícia (Universidade do Estado do Rio de Janeiro- UERJ, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575