Logo

7023 - Alteridade, Dualismo e Relação Homem-Natureza na cosmopráxis kaingang: um estudo de caso entre um grupo Jê Meridional em tempos de Pluralismo Religioso e expansão das formas e fronteiras nacionais

Os Kaingang da Terra Indígena Xapecó (Santa Catarina) atrelam sua conversão ao cristianismo a profundas transformações ocorridas em seu universo sociocultural. Esta tem sido por eles demarcada em dois períodos distintos: o primeiro ocorrido entre o final do século XIX e primeiras décadas do XX ao tomarem contato com o Catolicismo Popular através de um movimento messiânico que marcou a Guerra do Contestado e que os afetou diretamente; a segunda, a partir da década de 1950, com a instalação das igrejas pentecostais em seu território. As transformações apontadas expressam-se atualmente sob duas formas de cristianismo altamente “indianizadas”: a primeira, hoje sobreposta ao sistema xamânico tradicional vigente, e a segunda a uma ruptura deliberada com tal sistema. Embora tenha havido o abandono da exogamia das patri-metades assim como de práticas rituais que sustentavam a reciprocidade entre seus membros, a estas subjazem processos socioculturais mediados por elementos mais sedimentados comuns às epistemologias e morfologias jê que as mantém em sua essência, como o pensamento dual, o regime de alteridade e o faccionalismo. Argumenta-se que a oposição religiosa sustenta heuristicamente relações opostas e complementares entre dois grupamentos sociais expressas através de cosmopráxis particulares que definem ideais acerca da relação Homem-Natureza, modos de uso de recursos físicos existentes em seu território e tipos de socialidade estabelecidos para com a sociedade nacional e seus modelos econômicos. As cosmopráxis kaingang atuais podem ser sintetizadas através do seguinte esquema: o primeiro (do catolicismo popular/xamanismo), onde predomina uma relação contínua, holística, moral, baseada na reciprocidade, preservacionista, particularista e tradicionalista e o segundo (dos evangélicos), descontínua, fragmentada, objetificada, baseada na monetarização das relações, predatória, secularizada e universalista.

Palabras claves: Alteridade; Dualismo; Relação Homem-Natureza; Cosmopráxis; Kaingang

Autores: braune wiik, flavio (Universidade Estadual de Londrina, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575