Logo

7295 - Imagens da violência no pensamento Maxakali: comparação entre os mitos/ritos de Putuxop e Mõgmõka

O povo Maxakali habita uma terra indígena (TI) e duas reservas indígenas (RI) no noroeste do Estado de Minas Gerais. A despeito da dura história colonial a que foram submetidos e das péssimas condições ambientais da área onde habitam, este povo se mantém praticamente monolíngue (falantes da língua Maxakali, tronco linguístico Macro-Jê), além de dispor de um repertório de ritos e mitos constituídos a partir de seus mecanismos autóctones. Eles classificam estas práticas em 10 grupos, sendo que vários deles tratam de interações violentas. Pretendo tratar aqui comparativamente as imagens da violência que emergem de dois destes complexos mitológico-rituais: os de Putuxop e o de Mõgmõka. Enquanto o primeiro é uma forma de reflexão sobre os conflitos com o exterior, o segundo trata da violência subjacente à quebra das normas. A análise integrada deles permite supor que as interações violentas compõem as relações sociais deste povo e atuam na reelaboração do repertório mítico e prático deles.

Palabras claves: Povos autóctones - Maxakali; Violência; Análise dos mitos e dos ritos

Autores: Barbosa Ribeiro, Rodrigo (UFU (Universidade Federal de Uberlândia), Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575