Logo

3931 - Biodiversidade, conhecimento tradicional e territorialidade entre os Hupd'äh do Alto Rio Negro(Brazil)

A recente literatura sobre a biodiversidade e a riqueza de espécies na Amazônia é imensa, e os números são impressionantes, pois é considerada o lugar detentor da maior diversidade biológica do Planeta, e o atual momento aponta para a necessidade da conservação, e uso apropriado desse “capital”. Nesta apresentação, espera-se mostrar, de modo interdisciplinar elementos e situações do uso dos conhecimentos tradicional relacionados a biodiversidade, nesse caso, dos Hupd'äh, do Rio Tiquié, Alto Rio Negro, município de São Gabriel da Cachoeira (AM). Procura-se abordar temas de algumas áreas de conhecimento sobre a biodiversidade e biotecnologia que nos permitem compreender a inserção dos mesmos nas diversas ações voltadas para conservação. Nossa análise do conhecimento tradicional Hupd'äh identifica possíveis áreas de pesquisas que podem ter aplicações para a melhoria das condições de vida dos próprios índios nessa região. Estas observações foram realizadas durante os anos de 2007 a 2009 quando desenvolvemos atividades de diagnóstico participativo sobre questões voltadas alternativas econômicas dessas comunidades, no médio Rio Tiquié. Atualmente, existem sérios problemas relacionados as formas atuais de ocupação territorial que precisa ser apontada. Essas mobilizações de grupos populacionais, de diversas etnias, no Rio Negro, deve ser analisada, não como um problema, como tenho falado em outras ocasiões, mas uma forma nova adaptação, necessária para acomodar o novo modelo organizativo, resultante do longo processo de contato desses povos com a sociedade nacional. O fenômeno de migração para os centros urbanos pode ser visto como um “esgotamento” do modelo “tradicional” indígena da ocupação espacial. O resultado do referido diagnóstico participativo, realizado entre os Hupd'äh, nos permite identificar um capital biológico e tecnológico, ainda existente entre os Hupd'äh, fornecendo recursos materiais para o consumo humano, desde produtos para fins alimentares e medicinais, até matéria prima para construção habitacional e confecção de artefatos, todos geradores de renda em nível local, e até mesmo regional. Esta apresentação busca fazer relação com os resultados de atividades desenvolvidas na região do médio Tiquié sobre alternativas econômicas e o mito que denomino a biodiversidade entre os Hupd’äh.

Palabras claves: Hupd'äh, Rio Uaupés, Biodiversidade, Mito, Conhecimento-Tradicionais,

Autores: Athias, Renato (NEPE/UFPE, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575