Logo

8148 - Refletindo catolicismo negro: Missa dos Quilombos.

A “Missa dos Quilombos” surgiu em meio a articulações de base da Teologia da Libertação, num contexto que trazia desde a reflexão da diáspora africana, a subjugação destes povos, como a busca em se desconstruir preconceitos e fronteiras socioculturais. Nominada missa de resistência, concertante, adquiriu caráter performático para além do espaço eclesial, assumindo características próprias que nos fazem refletir sua construção identitária, assim como o lugar e processo deste diálogo inter-religioso que transita entre a Igreja Católica e Religiões de Matriz Africana. A missa descortina a escravidão negra e os lugares negros na sociedade brasileira desde a ditadura militar, a construção histórica da enculturação, ou interculturação na qual o evangelizar se auto-afirma a partir dos projetos históricos não somente alóctones. Por esta razão esta missa étnica reflete a Conquista Colonial, interlocução entre culturas diferentes. A Igreja se apresenta multifacética nesta construção da Afro-América. A Missa traz vozes de conflitos e hibridações como reconhecimento de agruras da Conquista espiritual e material, busca assumir a memória histórica revisitada. Tem por autores Milton Nascimento, Pedro Casaldáliga e Pedro Tierra. Objetivo analisar a construção das fronteiras e trânsitos étnicos, não o fenômeno enquanto sua transcendência, mas a partir do ponto de vista do processo histórico com seus múltiplos deslocamentos, os processos sociais.

Palavras-chaves: discurso; identidade; sagrado; poder; relações interétnicas.

Autores: Fagundes Oliveira, Augusto Marcos (UFSC, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575