Logo

11003 - Considerações sobre a noção de bem-estar Hupd'äh

O interior da floresta é o local onde os Hupd’äh, grupo indígena do Alto Rio Negro - Amazonas (Brasil) se sentem mais seguros e inteiramente a vontade em relação à margem do rio, por sua vez, território dos grupos étnicos da família linguística Tukano. Na maioria das vezes, os períodos de trekking correspondem ao período de fartura, quando as famílias Hupd’äh se deslocam para acampamentos de caça, onde coletam frutos, pescam em igarapés e caçam, o que vem a diminuir consideravelmente em períodos caracterizados pela escassez alimentar, quando não há abundância de frutos do mato e, por conseqüência, menos possibilidade de carne de caça. Contudo, o ritual das flautas do Jurupari, que é determinante na vida Hupd’äh, tanto para a noção de “viver bem”, quanto para a noção de território Hup, contribui para a sua perambulação no interior da floresta até a atualidade – estabelecendo não só a relação entre as distintas etnias, onde os Hupd’äh ocupam um lugar particular, como também compondo os aspectos da mobilidade Hupd’äh. Esta comunicação pretende apresentar uma análise desta relação dos Hupd’äh, com o seu território – atentando para a noção de “bem-estar” com base em dados levantados, decorrentes de experiências etnográficas entre os Hupd’äh do rio Tiquié, e na literatura etnológica sobre a região.

Keywords: Alto Rio Negro, Povos Indígenas do Amazonas, Território

Author: Monteiro, Lirian (nenhuma, Brazil / Brasilien)
Co-Author: McCallum, Cecília Anne (Universidade Federal da Bahia, Salvador, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575