Logo

8188 - Agroecologia e Reforma Agrária, duas faces da mesma moeda? Uma avaliação a partir do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Brasil

Na última década o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), movimento social que luta pela reforma agrária no Brasil, vem mudando de forma radical o seu discurso rumo a uma proposta mais coerente com as diretrizes preconizadas pela Agroecologia. Dentro deste contexto, o intuito do presente trabalho é debater, a partir de uma abordagem teórico-histórica, de entrevistas com lideranças do MST e de avaliações a campo, a apropriação do conceito “Agroecologia” como bandeira na luta pela reforma agrária defendida por esse movimento, assim como alguns resultados desse processo. Para tanto, realiza “pontes teóricas” entre as concepções clássicas relativas ao papel do campesinato nas sociedades contemporâneas, com os discursos e as ações praticadas pelo MST. Inferiu-se que a Agroecologia dentro do MST vai muito além da dimensão produtiva, por estar fortemente vinculada a um questionamento político. Por outro lado, conclui que, apesar dos esforços empreendidos na última dácada, esta ainda é uma exceção na prática dos assentados. Por fim, avalia-se que com a adoção desse discurso, emerge um importante paradoxo que esse movimento social terá que enfrentar em algum momento próximo: como um movimento de massa (com organicidade similar aos movimentos sindicais), onde o centralismo democrático sempre foi a forma política decisória, lidará com uma nova situação baseada na Agroecologia, que tem como um de seus fundamentos de sustentação a autonomia dos camponeses.

Palabras claves: Agroecologia, movimentos sociais, reforma agrária, ecologia política

Autores: SERRA BORSATTO, RICARDO (FATEC-IP, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575