Logo

10418 - Territorialidades na Bacia Hidrográfica do Rio Apa e as estratégias de gestão sustentável

A presente comunicação traz os primeiros resultados da pesquisa de campo “Gestão Integrada do Rio Apa” (GIAPA) executada pela UFMS e UFGD, com abordagem territorial multidimensional e que tem como delimitação a área física a sub bacia do Rio Apa, na fronteira Brasil/Mato Grosso do Sul - Paraguai onde estão situadas áreas indígenas, assentamentos e acampamentos de pequenos agricultores e algumas comunidades rurais tradicionais. O artigo procura analisar os discursos dos/as agricultores/as e agentes de movimentos sociais apontando para emergência de uma nova forma de pensar as relações sociais nas populações do campo em íntima relação com seus respectivos biomas.

Os nexos estabelecidos entre processos naturais e processos sociais, relações de gênero, intergeracionais, étnicas, e culturais, sugerem o desenvolvimento de uma racionalidade ecológica (Leff, 2009) que na amplia o conceito de diversidade, antes restrita a natureza. Trata-se de processos pelos quais pessoas e grupos de pessoas lidam com a natureza e aprendem a pensar a si mesmos e ao seu mundo (Bourdieu, 1996, Lefebvre, 1987) por meio de suas práticas de socialização do meio ambiente o que leva a compreensão de meio ambiente e de identidade camponesa e indígena que integram uma rede de relações não apenas naturais, mas também sociais e culturais, compondo o que algumas abordagens da agroecologia chamam de sócio-biodiversidade.  

Os resultados preliminares da pesquisa apontam para a possibilidade da construção de um modelo de desenvolvimento, baseada na coexistência sustentável de uma sócio-biodiversidade no entorno da bacia. A presença de aldeias indígenas e de Assentamentos de Reforma Agrária com grandes áreas de preservação, ainda que incidindo no grau de antropização das áreas florestais, mostram-se como fatores decisivos de preservação, com a predominância de sistemas agroflorestais, sistemas de pousio, manejo rústico de gado leiteiro e de pequenos animais, entre outros.    

Palabras claves: Territorialidade indígena, recursos hídricos (acesso), territorialidade camponesa

Autores: Marschner, Walter (UFGD, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575