Logo

9135 - Ausência do Estado na fronteira? Reflexões sobre um paradigma amazônico.

A concepção da Amazônia como um território vazio e distante do controle do Estado instrumentalizou grande parte das políticas de ocupação da região. De estudos arqueológicos a estudos para a elaboração de planos de desenvolvimento, a ideia da necessidade de ocupação e de instalar o Estado no território é a tônica. Politicamente, os rebatimentos destes estudos promovem externalidades de difícil controle. No regime militar, moldaram a ideologia do “Integrar para não entregar”, iniciando a corrida por financiamento público gerando os danos socioambientais, cujos rebatimentos se apresentariam na debilidade das instituições políticas na região. Nos períodos democráticos, reforçaram-se trajetórias dependentes das elites econômicas e politicas. Os estudos, então, passaram a reforçar a visão simplista de que tanto a falta de políticas publicas para esse gigantesco bioma, quanto uma suposta ausência do Estado nesse cenário, são os fundamentos da incapacidade de se estabelecer estratégias sustentáveis de ocupação do mesmo e da falta de instituições e práticas democráticas. Considerando os fluxos de capital financeiro e humano para a região, e analisando os acontecimentos em diferentes regiões amazônicas, como a construção de grande infraestrutura viária e fluvial e geração de energia, pelo menos no cenário macro, a suposta ausência do Estado não se sustenta. Em contraste, grupos de interesse diferenciados, nas pequenas vilas e centros urbanos, que se caracterizam por regimes agro-oligárquicos, têm aprendido de apropriar-se de recursos e instituições do Estado. Analisando situações diferenciadas, , este trabalho quer contribuir ao debate sobre a complexidade do papel do Estado como um dos atores-chaves na região.

Palavras-chaves: Estado, grupos de interesse, arena politica, instituições, Amazônia

Autores: Naase, Karin (Universität Marburg, Germany / Deutschland)
Co-Autores: Nirvia, Ravena

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575