Logo

8477 - O IMPACTO DAS INTERVENÇÕES DO PROGRAMA SOCIAL E AMBIENTAL DOS IGARAPÉS DE MANAUS NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS URBANAS

Embasada na teoria socioambiental com contribuições de (RIBEIRO, 2010), (BECK, 1986),(SACHS, 2004),(VEIGA, 2008) e (ASCELRAD,2009; abre-se um debate para compreender a contribuição do Governo do Estado do Amazonas, com o Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus, com relação às soluções encontradas para os impactos ocasionados pelo adensamento urbano nas Bacias Hidrográficas da capital, com recursos financiados pelo BID no montante de US$ 330.000.000,00, investidos em obras de infra-estrutura urbana e habitacional na Bacia do Educandos, para erradicar das áreas de risco, o contingente de 115 habitantes por hectare, residentes em edificações subnormais sujeitos às cheias do Rio Negro. Os dados, embasados em pesquisa documental, entrevistas e campo, sinalizam que após as intervenções, o modelo adotado de canalização dos igarapés e aterro de suas margens, do universo total de moradores, pequeno percentual, foi reassentado no mesmo local. Os demais, pelos critérios da metodologia do programa, foram indenizados, migrando para outras localidades. Cada qual com um destino diferente e alguns, reassentados em áreas da cidade informal, reproduzem novos riscos, em outras das oito bacias da cidade. Neste contexto, a reflexão está em compreender, baseado nos métodos adotados pelo programa, a importância, atribuída pelo Estado e o mercado, às bacias hidrográficas urbanas da região para o desenvolvimento econômico em bases sustentáveis.

Palavras-chaves: igarapés, habitação popular, PROSAMIM, justiça ambiental, risco

Autores: BATISTA, SELMA (USP/UEA, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575