Logo

6378 - Ecopolítica, direitos e vulnerabilidades

As localidades consideradas perigosas e em situações de risco no âmbito da cidade de São Paulo tem sido mapeadas pelo governo brasileiro para comporem alvos passíveis de proteção e segurança como parte da chamada política de fortalecimento da comunidade local. O apelo à parceria entre a comunidade e a polícia passou a ser justificado pelo governo como possibilidade da polícia humanizada, no entanto, ele reafirma a presença da polícia nas periferias.

A assistência social, por sua vez, vem ganhando destaque e espaço na articulação política governamental, almejando tornar-se universal por meio do atendimento em rede para recompor indivíduos com diferentes carências, distribuindo respostas universalizantes, enquanto política afirmativa. Neste sentido, o atendimento das vulnerabilidades a que estão expostos os habitantes de áreas mapeadas como local de risco incorporou o serviço sócioassistencial e as práticas de segurança social (programas e projetos ligados a segurança da comunidade)

O direito ao atendimento em rede como princípio do serviço sócioassistencial e ao mesmo tempo da garantia de proteção social, captura os excluídos momentâneos, atraindo mais e mais jovens, adultos e famílias carentes para os serviços públicos precários. O público composto por cidadãos vulneráveis, violados, marginalizados, violentados, fragilizados, pobres e periféricos passou a ser receptor de uma política que pretende ao mesmo tempo ser preventiva, participativa e protetiva, unificando ações policiais e assistenciais sob as mesmas perspectivas.

Esta apresentação pretende problematizar a relação entre vulnerabilidade e proteção social atravessada pela segurança da comunidade e do meio no âmbito da ecopolítica bem como das instituicionalizações inacabadas, e ainda, compreender os dispositivos de controle, da administração da pobreza e diversidade frente à política nacional e internacional de combate a pobreza extrema.

Palabras claves: pobreza, vulnerabilidade, ecopolítica, polícia, governamental, periferia

Autores: lazzari, márcia cristina (PUC-SP, Austria / Österreich)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575