Logo

6414 - CONVERSAS CRUZADAS NA ARQUITETURA DA CIDADE

O centro histórico representa um dos mais importantes lugares das cidades. Ali, camadas que o tempo imprime, permanecem e estão em simultaneidade com os novos lugares que a dinâmica da vida urbana nos leva a construir. Constitui tanto o patrimônio que herdamos e que nos enraíza como aquele que nos revela e nos identifica. Como monumento de testemunho histórico e memória urbana, bem da cultura material, o centro original é também obra aberta, acolhendo as transformações dos costumes, dos valores, das técnicas, da linguagem. Nesta perspectiva este trabalho aborda o centro de Florianópolis como lócus de centralidade que reflete e é refletido por estes diálogos presentes na sua contínua construção.

A cidade nasce como Vila Nossa Senhora do Desterro, com tecido colonial português do Século XVIII, transforma-se ao longo de dois séculos, seguindo diferentes idéias urbanístico-arquitetônicas, resultando num mosaico de lugares. Tecido tradicional da rua corredor, tecidos da cidade modernista, tecidos da cidade desenvolvimentista (brasileira) desenhados pela eficiência dos fluxos, que ultrapassa a escala do caminhar. A cidade contemporânea, dispersa, fragmentada e segregada se apresenta.

Parte-se da premissa de que estes tempos podem ser localizados em vários setores do centro histórico de Florianópolis, nos quais tempos subseqüentes provocam mutações no tecido urbano através de substituições, preenchimentos, alterações pontuais por novas arquiteturas. Desse modo através de recortes destes setores e suas vertentes histórico-culturais pode-se refletir sobre as conjugações e diálogos presentes no centro histórico. Que linguagens as intervenções contemporâneas propõem configurar nestas estruturas urbanas? Que diálogos contemporâneos são possíveis? Como se configuram as bordas destes tecidos e suas interfaces? Que lugares são capazes de darem a esta paisagem alguma articulação, alguma unidade que lhe traduza como patrimônio cultural?

Esta reflexão ao mesmo tempo em que discute o significado contemporâneo de centro e centralidade, através das mudanças/permanências, continuidades/descontinuidades e suas articulações no tempo-espaço, deverá possibilitar nos alicerçarmos para os novos lugares que a cidade contemporânea nos desafia a construir, o patrimônio cultural futuro.

Palavras-chaves: morfologia urbana, centro histórico, arquitetura da cidade

Autores: Assen de Oliveira, Lisete (UFSC e UNIVALI, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575