Logo

8700 - Amor bandido: a poligamia como estratégia para permanecer foragido da Polícia, adquirir bens e investir dinheiro oriundo de crimes em negócios legais.

O trabalho aborda os diversos matrimônios contraídos e mantidos em simultaneidade por participantes de assaltos contra instituições financeiras no Brasil. Roubos a bancos, carros-fortes e empresas de guarda valores são crimes sofisticados e resultam em altas quantias. Em curto intervalo de tempo, seus participantes acumulam muito dinheiro. Para permanecer foragidas da Polícia, assaltantes utilizam várias identidades falsas. É recorrente que estas identidades sejam utilizadas em diferentes regiões do Brasil, correspondendo, cada uma, a uma esposa. São homens que mantêm vários nomes e matrimônios. Nas cidades onde residem suas famílias, adquirem bens e negócios legais, registrados nos nomes de suas esposas. Assim, investem o dinheiro arrecadado em roubos. Dispondo de estruturas familiares e econômicas em diferentes regiões do país, assaltantes mudam de esconderijos periodicamente. Via de regra, suas comapnheiras não sabem sobre seus crimes, nem suspeitem da existência de outras mulheres. A poligamia dos assaltantes costuma se tornar pública somente quando são presos e suas fotografias são publicadas na mídia policial. Nestes casos, algumas mulheres rompem com seus parceiros. Porém muitos assaltantes, mesmo reclusos em presídios, mantêm várias esposas e namoradas, convencendo-as a revezarem as visitas íntimas.

Keywords: Matrimônio, , poligamia, família

Author: AQUINO, JANIA (UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575