Logo

10145 - A prática sócio espacial como momento revelador da reprodução da cidade

. Partindo da hipótese de que a extensão do capitalismo no espaço, ele próprio tornado mercadoria, que faz da produção do espaço um pressuposto, condição e produto da reprodução social,portanto, elemento definidor dos conteúdos da prática sócio-espacial, revela as relações espaço-tempo da vida social - atos e ações da vida cotidiana e onde se estabelece o vínculo entre os individuos.

Nesta perspectiva a produção do espaço da vida humana comportaria um movimento incessante proveniente do ato/ação continuada da reprodução social revelando o movimento e a direção da vida como presente vivido concretamente na trama objetiva das relações, numa prática espacial onde se revelam os dramas e as cisões que sustentam esta prática.

Esta prática em sua dimensão sócio-espacial cindida, se acha dominada pelo valor de troca como negação da apropriação, pela existência e extensão da propriedade privada - que esvazia o uso e define as estratégias das políticas urbanas na direção da realização da reprodução social, como momento necessário à acumulação. Em conflito, a reprodução da vida entra em choque com as políticas que reproduzem o espaço como necessário a realização da reprodução política e econômica produzindo a cidade enquanto fragmentação dos lugares e dos momentos da vida. O cotidiano como instância que liga espaço-tempo revela o esvaziamento e enfraquecimento das relações sociais como perda de referencias, isolamento, cisões às quais a vida esta submetida.

Palavras-chaves: CIDADE;COTIDIANO, PRATICA ESPACIAL

Autores: ANA FANI, CARLOS (UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575