Logo

10820 - Como obras de infraestrutura de saneamento modificaram hábitos culturais uma cidade.

No final do século XIX, a cidade de Porto Alegre, capital do estado mais sulino do Brasil, era deficiente em infraestrutura de saneamento. Então construiu uma ferrovia, para conduzir os dejetos cloacais para longe da área urbana. Esta ferrovia passou também a transportar passageiros, e induziu a urbanização de área litorânea lacustre, que se transformou no balneário municipal. As consequências foram novos hábitos culturais para os habitantes do centro histórico, que passaram a se deslocar e permanecer por temporadas no balneário, onde passaram a praticar novos hábitos sociais.

Em uma década o transporte de passageiros suplantou o de carga, e em menos de quatro décadas, quando a ferrovia foi extinta, a região balneária estava consolidada como núcleo urbano. Sair do centro e ir ao balneário passou a ser um hábito cultural das classes dominantes, e a própria viagem no trem era um acontecimento comemorado, que foi celebrizado em vários trechos da literatura.

Observa-se como uma obra de infraestrutura, inicialmente apenas para saneamento, propiciou a modificação de hábitos da população de um centro urbano. Ocorreu uma interligação entre a infraestrutura, a urbanização de área suburbana e criação de novos de hábitos sociais.

Persistem reflexos até os dias atuais. Mesmo o litoral não sendo mais balneável, devido a poluição das águas, é uma alternativa para habitação de baixa densidade, ao contrário do antigo centro histórico. Além de opções em gastronomia e de lazer, como esportes náuticos, áreas de contemplação do lago, etc.

Palavras-chaves: Urbanização, saneamento, ferrovia, balneário.

Autores: Huyer, Andre (MP-RS, Brazil / Brasilien)

atrás

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575