Logo

11157 - A poetica do Jongo: tradição e invenção

O batuque do tambor chama para a roda, enquanto jovens de uma universidade marcam, cada um a seu jeito, o ritmo com o corpo. É o Jongo Folha da Amendoeira, prática realizada por jovens da comunidade de Niterói (Rio de Janeiro, Brasil), sendo alguns estudantes da UFF (Universidade Federal Fluminense) ligados ao projeto Pontão de Cultura do Jongo Caxambu, que inauguram, naquele espaço, uma prática tradicionalmente nascida em comunidades quilombolas. Assim, reinventam a prática, e paradoxalmente, perpetuam a tradição, tratando o jongo não como elemento folclórico, mas como prática cultural. O objetivo deste texto é compreender a construção da poética dos pontos de Jongo, contribuindo com o conhecimento desta prática pelos educadores. Consideramos que a força da palavra cantada faz emergir o orgulho de pertencer e recupera a história, retomando, na atividade jongueira, a (re)inauguração de identidades, produzindo experiências que se contrapõem à massificação cultural homogeneizante e descaracterizante.

Keywords: Jongo, Cultura afrobrasileira, Jovens, reinvenção

Author: De alcantara, Renato (Fundacao de apoio a escola tecnica, Brazil / Brasilien)
Co-Author: Andrade, Claudia (Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575