Logo

3405 - Ver a Serra do Mato Grosso na rachadura da parede: imaginação ou barbárie

Este trabalho aborda uma experiência desenvolvida na penitenciária Lemos Brito/ RJ no projeto de extensão Teatro na Prisão: uma experiência pedagógica em busca do sujeito Cidadão fundado pelas professoras Natália Fiche e Maria de Lourdes Naylor Rocha, na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Os 14 anos de existência do projeto representam uma primeira conquista, a saber: a permanência de um espaço de construção libertária no seio de uma instituição penal. Aparentemente esta contradição exposta em "liberdade na prisão" não se mostra um aspecto tão significativo, no entanto a perspectiva de busca da cidadania que a perpassa revela dinâmicas de resistência e processos de autoconhecimento que redimensionam, tanto no plano individual como coletivo, a linha tênue que estabelece a cisão entre liberdade e enclausuramento. Por um lado observam-se aspectos da formação dos alunos do curso de Graduação em Teatro na modalidade Licenciatura, e por outro se trata de introduzir a linguagem teatral aos presos a partir de procedimentos baseados nos indutores de jogos de Ryngaert ( 2009 ). O uso do jogo põe em pauta as relações corporais disciplinadoras típicas da instituição penal e abre espaço para uma corporeidade renovada. A opção metodológica é por uma educação para transformação que alia saber e mudar, sob o viés da educação popular influenciada pela matriz freireana (NOGUEIRA, 1989). Não se trata de uma metodologia de educação popular propriamente, mas de uma atitude dos educadores na relação com os educandos. Em certa medida uma atitude socrática fundamentada na ruptura com a tradição onde o oprimido é sujeito de sua libertação. A linguagem teatral por meio da experiência estética (ADORNO, 1995) permite a ressignificação de si e do mundo. A experiência tem buscado que os presos se reconheçam capazes de criar novos espaços de convivência cidadã em contraposição à situação de exclusão que vivem. Este teatro contra a barbárie (VIGANÓ, 2006) potencializa as escolhas. Melhor é ver a Serra da liberdade imaginada pela rachadura da parede.

Keywords: corpo e espaço, Teatro na prisão, imaginação

Author: Narvaes, Viviane (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, Brazil / Brasilien)

Back

University of Vienna | Dr.-Karl-Lueger-Ring 1 | 1010 Vienna | T +43 1 4277 17575